Dr Merched Damen Neto

Dr. Merched Damen Neto (CRO 16.250)

  • Cirurgião Dentista com formação na Faculdade Unipar (Universidade Paranaense). Em 30 de janeiro 2004.  
  • Especialista em Ortodontia e ortopedia dos maxilares pela Faculdade UCA (Universidade Católica Nossa Senhora) 30 de janeiro 2009. 
  • Excelência em Ortodontia e ortopedia dos maxilares. 27 de novembro de 2009 
  • Mestre em Ortodontia e ortopedia dos maxilares pela faculdade Ingá, em 24 abril 2015.(Faculda de Maringa) 
  • Curso de cirurgia orla menor na ABO Umuarama em 11 de dezembro 2004 
  • Curso de Diagnóstico e tratamento bucais 27 abril 2004. 
  • Curso de aperfeiçoamento programa de saúde da família programa de saúde – método clínico. 30 abril de 2005. 
  • Curso Dale Carnigie 20 dezembro 2013 
  • Curso Grupo Caproni modulo Gestão. Fevereiro 2014. 

Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares

O que é Ortodontia / Ortopedia Funcional dos Maxilares?

Ortodontia / Ortopedia é o ramo da odontologia especializado no diagnóstico, prevenção e tratamento das irregularidades dentais e faciais. O termo técnico para estes problemas é “Má Oclusão”, que significa uma relação de contato incorreta entre os dentes superiores e inferiores. Essas especialidades visam harmonia entre dentes, lábios e ossos maxilares levando a um equilíbrio facial adequado.

Qual a diferença entre Ortodontia / Ortopedia?

Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares são duas especialidades utilizadas para lidar com problemas de mau posicionamento dentário. Embora ambas pareçam muito semelhantes e utilizem aparelhos dentários para a correção da arcada, as especialidades apresentam diferenças essenciais no que diz respeito a fundamentação e conceituação.

A ortodontia é uma especialidade formalmente reconhecida como aquela que estuda, diagnostica e trata problemas de crescimento, desenvolvimento e amadurecimento da mordida, face e arcos dentários. De forma simplificada, a ortodontia se concentra na utilização de aparelhos fixos e ativos, que aplicam força externa para movimentar os dentes ou alterar a forma do maxilar.

Por outro lado, a Ortopedia Funcional acredita nas forças naturais produzidas por todo o sistema corporal. O aparelho utilizado nesta técnica é geralmente removível e exerce uma força passiva e de pequena intensidade, que apenas estimula os nervos sensoriais da boca de modo que o próprio sistema responda com a remodelação das estruturas ósseas e musculares.

De modo geral, aparelhos de ortopedia funcional são mais utilizados em crianças. Como ainda haverá crescimento ósseo, os estímulos gerados podem influenciar o desenvolvimento correto do sistema bucofacial. A ortodontia pode ser aplicada a todas as faixas etárias, desde que haja saúde bucal – isto é, sem cáries ou lesões na boca.

Quais os tipos de Ortodontia?

Podemos classificar em 3 tipos de ortodontia:

  1. A Ortodontia preventiva;
  2. Ortodontia Interceptativa;
  3. Ortodontia corretiva. 

Ortodontia Preventiva

O tratamento da ortodontia preventiva o quanto mais cedo começar o tratamento é melhor. A idade adequada para iniciar o tratamento a partir dos 3 anos de idade aproximadamente. A prevenção é melhor tratamento. Podendo facilitar o tratamento ou ate mesmo evitar o uso de aparelho ortodôntico. Assim tendo o melhor controle de crescimento e deixando com o sorriso mais harmônico com a idade correspondente.

Ortodontia Interceptativa

A ortodontia interceptativa pode estar relacionado com a ortodontia preventiva. Pode ser com o uso de aparelho moveis que podem ajudar a remover alguns hábitos bucais. Ou ate mesmo melhorar e intervir no crescimento e melhorar algum tipo de mordidas como a mordida aberta, mordida cruzada e mordida profunda. A idade para intervir nessa má formação seria no pico de crescimento, que seria na dentição mista dos 7 anos aos 12 anos.

Ortodontia Corretiva

A ortodontia corretiva é feita em pacientes com a dentição permanente. A idade media é de 12 a 13 anos. As meninas um pouco mais cedo e os meninos mais tarde. A ortodontia corretiva tem função de alinhar e nivelar os dentes em relação a base do osso. O tempo media do tratamento em torno de 2 anos, depende de cada caso.

O correto é fazer uma avalição com o Ortodontista Especializado.

Para fazer o planejamento do tratamento o ortodontista necessita de alguns exames complementares, A documentação ortodôntica que tem fotos extra oral , fotos intra oral, raio x, como panorâmica e teleradiografia e um modelo de gesso para fazer estudos.

Ortodontia corretiva ou tradicional – Como funciona

Ortodontia Corretiva 

Ortodontia corretiva – Como funciona 

Quando o paciente apresenta problemas durante o nascimento dos dentes permanentes ou necessita de correção no alinhamento dos mesmos, é recomendada a aplicação da ortodontia corretiva (ou tradicional). 

A intervenção é feita através de aparelhos ortodônticos fixos ou móveis, pois assim é possível fazer a movimentação dos dentes ou dos ossos mandibulares (superiores ou inferiores) de forma gradativa.

Assim é possível a correção do posicionamento dos dentes e a resolução do problema, gerando uma melhora na saúde bucal e na estética facial. 

Indicações de uso para aparelho ortodôntico 

Existem diversas razões pelas quais o ortodontista pode recomendar o uso de aparelhos, entre elas podemos citar as principais: 

 Apinhamento dos dentes

Má oclusão

Diastema

Dentes tortos

Mordida aberta

Mordida cruzada

Dentes girovertidos

Espaçamento grande entre os dentes 

Idade correta para a intervenção da ortodontia corretiva 

A ortodontia corretiva pode ser realizada em crianças que já estão na fase final da troca de dentes, adolescentes, adultos e até mesmo idosos.

A realização de terapias com o uso de aparelhos ortodônticos visa proporcionar ao paciente mais equilíbrio nas feições da face, possibilitando o alinhamento correto dos dentes, correção no encaixe das arcadas, permitindo enfim um sorriso agradável. 

Tipos de aparelhos usados na ortodontia corretiva 

Com a modernização dos aparelhos ortodônticos, o uso dos mesmos para correção de imperfeições nos dentes e arcadas, ficou mais atrativo para os adultos também, pois existem até mesmo modelos de aparelhos transparentes.

É importante porém ressaltar que a escolha feita pelo ortodontista, sobre o modelo e os materiais do aparelho que o paciente deve usar, certamente é feita levando em consideração à necessidade técnica e financeira do paciente, sem comprometer o seu bem-estar, conforto e segurança.

 

 Aparelho Fixo – Os aparelhos fixos atuais estão muito mais anatômicos e confortáveis para a boca.

 Aparelho Fixo Estético – Feito de materiais transparentes, mantendo assim uma melhor estética quando comparado ao metálico.

Alinhadores– São quase invisíveis e bastante sofisticados feitos sob medida.  É uma boa opção para as pessoas que apresentaram alguma rejeição relacionada ao metal ou, especificamente, ao níquel que existe em aparelhos metálicos.

Aparelho Autoligado – Elimina a necessidade de utilização das borrachinhas para ligar os braquetes. Isso diminui o atrito entre o fio e o braquete. É mais confortável também. Existem dois modelos: braquetes de metal, já bem conhecidos e braquetes de porcelana, que ficam bem clarinhos, quase conseguindo se esconder nos dentes.

Aparelho lingual – Ele também é considerado um aparelho da ortodontia invisível, pois os braquetes são colados na parte interna dos dentes, ficando em contato com a língua, ou seja, os dentes escondem o uso do acessório. É muito utilizado por praticantes de esportes de maior contato, pois ajuda a evitar cortes internos nos lábios em caso de pancada na boca.

Gostou desta matéria?

Aguarde que em breve traremos mais notícias para ajudá-los a ter uma saúde bucal impecável!

Ortodontia Interceptativa – Saiba o que é ortodontia Interceptativa

Saiba o que é ortodontia Interceptativa

Quando vemos pessoas com dentes bonitos e alinhados, nem sempre imaginamos o que foi necessário para conseguir esse resultado. Possivelmente houve o uso de aparelhos ortodônticos na infância

Existe uma especialidade na odontologia que trata exatamente de identificar problemas na funcionalidade e estética bucal e facial. 

Essa especialidade é conhecida como Ortodontia.

A ortodontia se divide em três principais etapas: Preventiva, interceptativa e corretiva, com métodos e meios disponíveis à serem usados para evitar que uma anomalia dentofacial se instale.

Como já falamos em um artigo anterior, a ortodontia preventiva pode ser aplicada ao longo  da primeira fase de dentição, a partir dos 3 anos de idade [Leia o artigo completo].

Atuação da Ortodontia Interceptativa

Neste texto falaremos mais detalhadamente sobre a ortodontia interceptativa,  que atua em casos onde há problema no posicionamento dos dentes, que pode comprometer mais severamente a funcionalidade e a estética bucal e facial no futuro.

O crescimento adequado da mandíbula, pode ser guiado por aparelhos ortodônticos, no período de 3 a 12 anos, por exemplo, e ajuda a melhorar os músculos da face.

A ortodontia interceptativa também é importante, pois ajuda a preservar ou criar novos espaços para o nascimento dos dentes permanentes, para a correção da mordida aberta, mordida profunda ou mordida cruzada.

Assim, tem como objetivo principal, estimular o desenvolvimento correto da arcada dentária.

Existem contudo, outras  razões para o tratamento interceptativo:

  • Acompanhar o crescimento e saúde dos ossos da mandíbula;

  • Estimular ou retardar a direção de crescimento dos dentes;

  • Acompanhar e corrigir, se necessário, a força e a eficácia da mastigação;

  • Melhorar e proteger a saúde dentária no que se refere a higiene bucal;

  • Proteger os dentes de traumas por atividades diárias, como a mastigação por exemplo, que estejam ocorrendo de maneira incorreta;

  • Problemas diversos que estejam afetando a arcada dentária e os dentes, entre outros fatores.

Quando consultar um ortodontista

A melhor época para tratamento interceptativo é na infância e pré-adolescência, pois nesta fase, aproveitamos o potencial de crescimento de forma geral, para estimular o crescimento da maxila e da mandíbula, evitando danos futuros.

É importante salientar que, a partir dos três anos de idade, já podemos iniciar tratamentos nos casos de mordida cruzada, evitando que na idade adulta o paciente venha a ter assimetria facial.

Existem também, situações prejudiciais, que podem ser corrigidas com a ortodontia interceptativa:

  • Respiração exclusiva, ou majoritária pela boca e não pelas narinas;

  • Má posicionamento da língua, refletindo em deglutição atípica;

  • Agenesias dentárias (falta de dentes);

  • Inclusões dentárias (dentes que não erupcionam);

  • Onicofagia (roer das unhas);

  • Bruxismo (ranger dos dentes, geralmente noturno);

  • Hábitos como chupar o dedo ou chupeta.

Os aparelhos que serão utilizados nos tratamentos interceptativos, serão aqueles que melhor se adaptarem às necessidades da criança, pois quanto mais novos são os pequenos pacientes, mais difícil a colaboração deles no tratamento, sendo então os modelos fixos os mais indicados nesses casos.

A ortodontia interceptativa, deve ser feita exclusivamente na infância e início da adolescência para trazerem os resultados esperados. 

Por isso é tão importante ter acompanhamento odontológico e ortodôntico desde o nascimento dos primeiros dentinhos.

Gostou do texto? Continue acompanhando a Prime Sorriso que em breve traremos novos assuntos para você!


Ortodontia Preventiva: Porque prevenir é o melhor caminho

Já levou seu pequeno ao ortodontista?

Atualmente já é comum que os pais levem suas crianças à primeira consulta odontológica quando surgem os primeiros dentinhos. Assim começam os cuidados com a higiene bucal. 

Graças a esse avanço cultural, a saúde dos dentes de leite melhorou bastante e consequentemente a boa formação dos dentes permanentes e a saúde geral da criança (mastigação, deglutição, fala e sorriso).

Mas muitas crianças só chegam ao ortodontista após trocarem os dentes de leite pelos permanentes e apresentarem algum problema de mordida ou de dentes que já estão tortos e acabam precisando usar aparelhos para corrigir tais problemas. 

Mas é possível evitar chegar a tal necessidade com uma ação simples: prevenção.

O que é ortodontia preventiva?

É uma especialidade da odontologia que trabalha para identificar disfunções ortodônticas e nos ossos maxilares e intervir antes das complicações surgirem de fato, ainda na fase em que as crianças estão com dentes de leite na boca.

É um ramo complexo e que requer muito estudo por parte dos profissionais que fazem parte dele, pois é necessário mapear dos dentes da criança e observar as características genéticas do tamanho da cavidade oral e dos dentes, para saber se será necessária algum tipo de intervenção e se for necessário qual tratamento deve ser feito. 

Existe também uma abordagem educativa para as crianças e os pais, na forma de orientação sobre os maus hábitos que podem atrapalhar o desenvolvimento da arcada dentária, como chupar dedo e chupeta.

Podem ser verificadas também  algumas disfunções que interferem no desenvolvimento dentário, como:

  • Problemas de dicção (quando a língua da criança empurra os dentes durante a fala)

  • Problemas respiratórios (respiração pela boca, compromete a formação da angulação correta da arcada)

Nestes casos é importante que o dentista encaminhe a criança para os profissionais de fonoaudiologia e otorrinolaringologia para que trabalhem em conjunto complementando o tratamento ortodôntico.

Como funciona?

Essa especialidade tem foco na preservação dos espaços naturais que existem entre os dentes de leite para que haja espaço suficiente para a troca pelos dentes permanentes.

A ortodontia preventiva normalmente indica o uso de pequenos aparelhos móveis durante a fase de crescimento das crianças, para ajudar a manter esses espaços, evitando assim problemas ortodônticos de má oclusão, mordida cruzada, mordida aberta ou mordida profunda. 

Esse processo pode evitar, por exemplo, a necessidade de uso de aparelho fixo, extração de dentes permanentes e até mesmo cirurgias ortognáticas, feitas para corrigir o posicionamento do maxilar.

Quando deve ser realizada a primeira visita ao ortodontista?

É imprescindível que a ortodontia preventiva seja feita ainda na primeira infância, na fase dos dentes de leite, para que as intervenções tenham melhor resultado. 

A primeira consulta pode ocorrer a partir dos três anos de idade para avaliações preliminares, já que cada paciente é único e tem suas próprias características.

Os procedimentos de ortodontia preventiva são realizados, no geral, no pico do crescimento ósseo da criança, que varia entre os 5 anos e 12 anos de idade.

Existem diversos motivos para que as consultas do seu pequeno ao dentistas sejam periódicas, pois dessa maneira a prevenção se torna muito mais eficaz e a saúde bucal dele fica garantida!


Mandíbula deslocada: Como acontece? Por que? O que fazer?

O deslocamento da mandíbula ou luxação do ATM(articulação temporomandibular) acontece quando o côndilo, uma parte arredondada do osso da mandíbula, sai do lugar, e a mandíbula se desloca. 

Na hora do deslocamento acontece um estalo seguido de uma dor muito forte na região da mandíbula, geralmente acontece enquanto o indivíduo boceja ou abre muito a boca para comer algum alimento e não consegue mais fechar. Se isso ocorrer deve-se procurar um dentista o mais rápido possível, para colocar a mandíbula em seu lugar, para evitar futuros problemas. 

Causas

  • Abrir e fechar a boca constantemente.
  • Ficar muito tempo com a boca aberta.
  • Problemas genéticos como cavidade articular rasa e ligamentos muito frouxos.

Os deslocamentos da mandíbula podem estar ligados a fraturas ou não. 

Para um melhor diagnóstico podem ser feitas radiografias, ressonância magnética ou tomografias. Mas é importante ir a um profissional quando isso acontecer, seja ele dentista especialista em dor orofacial e disfunção temporomandibular ou um cirurgião bucomaxilofacial.

Cirurgia Ortognática: O que é? Pra quem é indicada?

A cirurgia ortognática tem o objetivo de corrigir alguma alteração no crescimento dos ossos da face. A cirurgia além de melhorar a aparência, melhora a funcionalidade da mordida. Geralmente a cirurgia está acompanhada de um tratamento ortodôntico, que prepara os dentes para a cirurgia realinhar por completo os dentes.

A cirurgia dura em média 2 a 4 horas, dependendo da complexidade do caso. 

Indicação

A cirurgia é indicada para pessoas que tem uma desarmonia facial, geralmente por um crescimento exagerado do osso da face.

%imagem-1%

Pós-operatório

O paciente deve ficar 15 dias em repouso, ingerindo somente líquidos na primeira semana, e voltando a sua alimentação normal aos poucos. O paciente pode ter uma sensação de dormência no rosto, e terá um inchaço por um tempo.

A cirurgia ortognática alinha os ossos da boca e melhora a qualidade de vida do paciente. 

Descubra como cuidar corretamente do seu aparelho móvel!

O aparelho móvel é um aparelho que pode ser removido para comer, escovar os dentes, passar fio dental e praticar atividades físicas. Os tipos mais comuns de aparelho móvel são o aparelho para alinhamento da arcada dentária de crianças e o aparelho móvel de contenção, que serve para conter os dentes onde eles estão, após o uso do aparelho fixo, até os ossos da boca estarem suficientemente desenvolvidos. 

O aparelho móvel, como o aparelho fixo, precisa ser cuidado d maneira correta. A higienização do aparelho móvel é muito importante, caso não haja a higienização correta, o aparelho pode adquirir um mau cheiro. Além disso o paciente deve ter muita responsabilidade para não perder ou quebrar o aparelho. 

Aqui estão algumas dicas de como cuidar do aparelho móvel:

  • Guarde sempre na caixinha ou estojo que seu dentista te deu, nunca enrole em guardanapos, pois isso é um dos maiores motivos de perda do aparelho.
  • Lave o aparelho móvel. Após escovar os dentes, lave a escove e coloque um pouquinho de pasta de dente, e então faça a limpeza.
  • Não pratique atividades físicas com o aparelho na boca, pois isso pode causar acidentes.
  • Não lave o aparelho com água quente e não beba bebidas quentes com o aparelho, pois isso pode deformar o material.
  • Não beba e não como com o aparelho, somente água não é proibido.

É importante ter o cuidado com o aparelho móvel, e não esquecer de ir ao dentista fazer a manutenção do aparelho.

DENTES TORTOS: Como fazer a correção e qual é a ideal para você?

A dentição desalinhada não é só uma problema estético, é uma problema de saúde e sério pois implica na digestão e por consequência na nutrição do organismo. 

Por que os dentes ficam tortos? 

Desde bebê a mãe já pode tomar uma série de cuidados para a formação saudável da dentição da criança. A sucção do seio, por exemplo, é um exercício importante para o desenvolvimento dos arcos dentários. O cuidado no uso de chupetas e mamadeiras também influenciarão na posição dos dentes que irão nascer, assim como os dentes de leite terão papel muito importante para guardar o espaço necessário para os dentes permanentes. São muitos fatores que podem deixar os dentes tortos ou “encavalados”. Fatores hereditários, hábitos não saudáveis, como o de chupar o dedo, protrusão lingual (quando a língua fica para fora da boca) ou ainda problemas nas arcadas devido a algum acidente. Hoje em dia existem técnicas avançadas para corrigir dentes tortos. Além de apresentarem uma estética desfavorável, eles podem causar muitos problemas, desde a baixa autoestima, até problemas digestivos, devido a mastigação ineficiente. Previna- se e faça uma avaliação com nossos ortodontistas.

%imagem-1%

Os dentes tortos ou “dentes encavalados” podem ter diversas causas, sendo que o tratamento adequado para corrigir ou alinhar os dentes pode diferir de acordo com essas mesmas causas, a idade, condicionantes estéticas e severidade do problema.

Para além de dentes tortos, é frequente a utilização de várias outras expressões populares por parte dos doentes para se referirem ao problema, como “dente inclinado”, “dente emaranhado”, “dente torcido”, “dente encavalado ou montados”, entre outras. Contudo, os dentes tortos são designados clinicamente como desalinhamento dentário.

A falta de espaço é um dos principais motivos para o desalinhamento dos dentes. Mas não é só a falta de espaço que origina dentes tortos. O problema de dentes para a frente, por exemplo, pode ser provocado por falta de espaço, mas também por outros fatores. 

Correção dentária e ortodontia:

%imagem-2%

Felizmente, esta situação de dentes tortos é passível de correção, ou seja, é possível fazer um alinhamento dos dentes permitindo obter o resultado final pretendido, quer em termos estéticos ou funcionais. Este tratamento permite-nos alinhar ou “arrumar os dentes”, e como já vimos anteriormente deve ser efetuado não apenas por motivos estéticos, mas também por motivos de ordem funcional ou de má oclusão. Veja mais informação em tratamento de dentes tortos ou apinhado para saber tudo sobre as diferentes possibilidades de correção.

Na dentição de leite, e principalmente durante a dentição mista, é também frequente verificarem-se situações de dentes tortos. Desde cedo, na infância ou na adolescência é extremamente importante proceder-se à sua correção a fim de se evitarem problemas futuros que poderão ser muito mais acentuados e mais difíceis de corrigir enquanto adulto. Muitas vezes, os dentes definitivos nascem tortos porque não se procedeu à respectiva correção precoce.

A ortodontia é a especialidade na Medicina Dentária relacionada com o estudo, prevenção e tratamento das alterações do posicionamento dos dentes. Acresce que se trata da especialidade relacionada com o crescimento e o desenvolvimento dos maxilares. Para além de dentes tortos, dentes apinhados ou “encavalados” ou mal posicionados existem outros problemas passíveis de correção.

Qual a melhor opção de correção?

No caso de se verificar um desalinhamento dentário que abranja vários dentes, por norma, o tratamento mais adequado passa pela correção com aparelho ortodôntico.

Já nos casos isolados, em que por exemplo um só dente se encontra torto e existe espaço mínimo para o reposicionar, a maior parte das vezes, principalmente nos adultos, a solução passa pela prótese fixa, resolvendo-se assim muito mais rapidamente o problema.

Sempre o dentista é a sua melhor opção que pode corrigir este problema através de técnicas ortodônticas. O seu sorriso e sua saúdem agradecem a sua vista ao dentista.

Quebrei um dente, e agora? Obturação ou Restauração?

Preciso fazer uma obturação ou uma restauração?

Antigamente usava-se o termo obturação quando ao removermos a cárie do dente, preenchíamos o “buraco” com um material metálico, o amálgama. O termo obturar não está errado, no dicionário ele significa fechar, obstruir pelo uso de material, impedir a passagem, que é a grosso modo o que fazemos.

Hoje, ao invés de obturação usamos o termo restauração para esse processo, porque entendemos que quando remove-se a cárie devemos restaurar a forma e cor originais do dente, afim de preservar uma boa mordida e a beleza do sorriso.

Aqui na Prime Sorriso fazemos  restaurações estéticas, usando a resina composta como material de escolha, que nos permite restaurar o dente para que ele fique com o aspecto mais natural possível. A resina é um material com excelente resistência, está disponível em várias cores (tons parecidos com os dentes naturais) e através de adesivos especiais ela fica colada ao dente.

As restaurações podem ser feitas nos dentes do fundo (posteriores) e nos dentes da frente  anteriores). Em ambos os casos conseguimos deixá-los como se nunca tivessem sido afetados pelas cáries.

%imagem-2%

Quando devemos restaurar os dentes?

Devemos restaurar os dentes quando houver cárie, fraturas ( dentes quebrados por quedas ou acidentes) e desgastes (dentes irregulares) ou até mesmo espaço entre os dentes (diastemas).

Fazer obturação dói?

Não, para fazermos as restaurações aplicamos anestesia para eliminar a dor e o desconforto  durante o procedimento. E não se preocupe, a  anestesia também não dói.

Como fazemos uma restauração?

  1.  Primeiro, removemos a cárie, que é aquela parte amolecida e escura que está dentro do “buraco” no dente, para isso usamos brocas e motores especiais;
  2.  Isolamos o dente, para evitar o contato com a saliva e deixar o preparo seco durante a restauração;
  3.  Limpa-se e prepara-se o local para receber a restauração com produtos específicos;
  4.  Com a ajuda de uma luz azul e uma adesivo especial para os dentes , começamos a reconstruir o dente com a resina, aplicando e esculpindo várias camadas de material até deixar o dente  mais parecido o possível com quando não havia a presença de cárie;
  5.  Por fim, ajustamos a mordida para que o dente não fique “alto”, e também executamos o acabamento, para que o dente fique liso e brilhante.

Agora você já sabe o que seu dentista faz quando “restaura” um dente. Mas não se preocupe muito com isso, se você pedir uma obturação a gente entende também.

Restaurar um dente não é só tapar um buraco, é devolver a ele sua função e beleza natural!

Artigo produzido por Drª Carolina Werner (CRO 11.959).

Espaços entre os dentes estão incomodando sua estética? Saiba como tratar!

O espaço entre os dentes é chamado de diastema. Para alguns é considerado um charme ter este espaço entre os dentes da frente, e várias personalidades lindas o possuem.

Já a maioria das pessoas que tem diastema gostaria de fechar este espaço para ter um sorriso mais harmônico.

Os diastemas são mais comum nos dentes da frente superiores (incisivos centrais superiores), mas pode aparecer entre quaisquer dentes.

Ele ocorre pela diferença de entre crescimento ósseo e tamanho dos dentes (ossos grandes e dentes pequenos), por falta de dentes (que não nasceram ou foram perdidos) resultando em mais espaço na arcada e causando espaçamento entre os dentes, presença de dentes pequenos (micro dentes) ou ainda presença de tecido fibroso nos freios lábias entre os dentes.

%imagem-1%

É possível prevenir o aparecimento dos diastemas?

A única prevenção conhecida é frequentar seu dentista regularmente desde a infância, para fazer um acompanhamento do crescimento ósseo e nascimento dos dentes permanentes, para evitar perdas desnecessárias e diagnosticar a presença deles o mais precocemente possível.

Como fechar os diastemas?

Uma análise criteriosa do dentista torna-se necessária, em alguns casos o fechamento dos diastemas é resolvido com o uso de aparelhos ortodônticos.

Em outros podemos corrigir o problema com restaurações estéticas diretas,  facetas ou coroas de porcelana.

O uso de restaurações estéticas para fechamento de diastema é muito utilizado , não há desgaste dos dentes, apenas o preenchimento dos espaços com a resina, dando um novo formato aos dentes. O procedimento é realizado numa única sessão, desta forma fechamos o espaço e deixamos o sorriso bonito, proporcional e harmônico.

Em qualquer caso, um bom exame e uma conversa conosco vai ajudá-lo a decidir sobre qual a melhor forma de fechar seus diastemas.

Artigo produzido pela Drª Carolina Werner CRO 11.959

Você sabe o que é implante dentário, mas sabe o que é mini implante dentário?

A odontologia moderna busca cada vez mais procedimentos que sejam rápidos e eficazes pois os pacientes não toleram mais tempos longos em seus tratamentos, daí na área de implante surgiu o mini implante dentário.

Um tratamento que seja mais rápido e menos incômodo é o sonho de qualquer pessoa que precise passar por um tratamento ortodôntico. Se, além disso, o tratamento apresentar uma maior eficiência, melhor ainda. É justamente em busca disso que a Ortodontia tem evoluído, sempre atrás de melhores resultados para seus tratamentos.

Uma das novas tendências da Ortodontia é a utilização de dispositivos transitórios de ancoragem na correção de problemas ortodônticos. Entre esses dispositivos estão os mini-implantes, que são utilizados para fazer a movimentação dentária de modo seletivo, aplicando forças contínuas com mais eficiência e diminuindo o tempo de tratamento.

%imagem-1%

O mini implante

O mini-implante é um micro parafuso feito de titânio, geralmente de 1,2 a 2 mm de espessura, sendo instalado entre os ossos, na mandíbula ou na maxila. A diferença do mini-implante para os outros implantes dentários funciona da seguinte forma, a mini-prótese tem a função apenas como um acessório auxiliar para o tratamento ortodôntico, enquanto que os outros a finalidade é uma substituição dentária. 

Implantação

Os mini-implantes são colocados com a ajuda de chaves manuais curtas ou longas ou, em alguns casos, chaves mecânicas acopladas a um motor cirúrgico. As chaves mecânicas são mais utilizadas na colocação de implantes em locais de difícil acesso para as chaves manuais, como o palato e a região retro molar. As chaves manuais são mais indicadas porque permitem uma melhor percepção da densidade óssea e da resistência à implantação, que ajudam no diagnóstico da estabilidade primária.

Os dispositivos transitórios de ancoragem podem ser colocados por um ortodontista ou por um implantodontista, sendo muito importante a comunicação entre os dois para que a implantação seja no local correto. Normalmente eles são posicionados entre as raízes, já que as regiões apicais são as que apresentam maior espaço para a implantação. O espaço deverá corresponder a, no mínimo, o diâmetro do implante mais 1,5 mm – 0,25 mm para cada raiz e 1 mm de margem de segurança. Caso a área escolhida não apresente o espaço mínimo exigido, é necessário optar por um outro local, mudar a angulação do implante, ou, ainda, aumentar esse espaço através do afastamento das raízes.

%imagem-2%

O sucesso da ancoragem dependerá da estabilidade primária do mini-implante. Essa estabilidade pode ser avaliada logo no momento da implantação, através do controle das forças aplicada à chave digital: quanto maior a resistência do local à implantação, maior será a estabilidade inicial no dispositivo transitório de ancoragem. Para se avaliar a estabilidade após a fixação, pode-se pressionar a cabeça do implante em diferentes sentidos. Em caso de baixa estabilidade, haverá isquemia na região ao redor do implante, o que mostra que é preciso escolher um outro local para a implantação ou colocar um implante de maior diâmetro.

Para adquirir uma melhor estabilidade primária, recomenda-se que o diâmetro do mini-implante seja 0,2 ou 0,3 mm superior ao da fresa utilizada na osteotomia. Em casos de áreas de baixa densidade, esse diâmetro deve ser superior em 0,4 ou 0,6 mm. A cirurgia costuma ser simples e não leva mais de meia hora.

Na hora de retirar os mini-implantes, o procedimento é basicamente o mesmo. Com a ajuda de uma chave manual ou mecânica, retira-se o dispositivo transitório de ancoragem realizando o movimento oposto ao da implantação. Não é necessário nenhum procedimento de sutura ou curativo, já que a cicatrização do local é completa em um curto espaço de tempo.

Soluções cada vez mais criativas e funcionais se apresentam na odontologia moderna. Como vemos o mini implante dentário é mais um procedimento e solução para problemas bucais da nova odontologia para solucionar velhos problemas. Consulte o seu dentista periodicamente.

Ortodontia avançada aplicada para uma vida mais saudável

O que é Ortodontia?

Essa é a área da Odontologia que estuda o  crescimento e desenvolvimento da face, bem  como o desenvolvimento dos dentes de leite,  mista e permanente e seus desvios  de     normalidade,  prevenindo, interceptando e corrigindo as más  oclusões dentárias.

Ortodontia é uma especialidade odontológica que  corrige a posição dos dentes e dos ossos  maxilares posicionados de forma  inadequada.  Dentes tortos ou dentes que não se encaixam  corretamente são  difíceis de serem mantidos  limpos, podendo  ser perdidos  precocemente, devido à  deterioração.  Também causam um estresse  adicional  aos músculos de  mastigação que  pode  levar
a dores de cabeça, síndrome da ATM e dores na região do pescoço, dos  ombros e das costas. Os dentes tortos ou mal   posicionados também prejudicam a  sua  aparência.

O tratamento ortodôntico torna a boca mais  saudável, proporciona uma aparência mais   agradável
e dentes com possibilidade de durar a vida toda.

O especialista neste campo é chamado de  ortodontista. Os ortodontistas precisam fazer
um curso de especialização, além dos cinco anos do curso regular.

Qual a
idade certa para a colocação do aparelho dentário?

Não  existe uma idade correta para o uso do aparelho
 dentário. É necessária uma avaliação  criteriosa de cada paciente,  pois há muitos fatores que podem determinar a  necessidade de uma intervenção  ortodôntica.

O aconselhável é, desde o surgimento dos primeiros
dentes de leite na criança, fazer uma avaliação ortodôntica. Assim, é possível
identificar se há uma má oclusão, e intervindo na hora certa, há uma enorme  chance de sucesso no tratamento ortodôntico.   Quanto
antes for detectado o  problema, melhor o
prognóstico.

É na puberdade em que ocorre a calcificação dos
ossos da face. Por volta dos 13 anos a união óssea já está praticamente  completa. Aparelhos ortopédicos são ideais
para serem usados nessa fase, pois  eles
vão agir principalmente na parte óssea do paciente, corrigindo problemas  que na vida adulta somente através de  cirurgia poderiam ser corrigidos.

O cuidado e a manutenção dos dentes de leite são  fundamentais no correto  desenvolvimento da face. Uma das principais
funções deles é manter o espaço na arcada para o  futuro dente permanente que o substituirá.
Portanto, o dente  decíduo (ou dente de
leite) deve ser mantido  até sua perda
natural, e não  extraí-lo  precocemente, pois assim inúmeras alterações
dentárias prejudiciais  ao correto
posicionamento dos dentes podem  ocorrer.

Existe limite de idade para o uso do aparelho  ortodôntico?

Contrariamente do que se pensa, não existe limite
de idade para o uso do aparelho ortodôntico. Pacientes adultos ou até mesmo  idosos podem se beneficiar dos seus efeitos  corretivos sem problema algum.  Claro, que uma avaliação criteriosa da saúde
gengival deve ser realizada antes do tratamento. Mas não custa lembrar os
pacientes que nunca é tarde para a busca por um sorriso perfeito e alinhado.

Agora que você já sabe o que é ortodontia, e qual é
a faixa etária inicial e todo o seu processo, que tal começar solicitando a avaliação
de seus filhos na Prime Sorriso pois a prevenção sempre é a melhor  solução.