Implantodontia: O que é? Quais são os tipos de implante dentário? Descubra!

Implantodontia é uma especialidade da odontologia que utiliza de técnicas para implantar dentes perdidos. Esse procedimento é feito com um parafuso de titânio que substitui a raiz do dente, podem ser feitos implantes de um ou mais dentes, que dão suporte a coroas, próteses fixas ou removíveis.

Existem vários de tipo de implantes dentários e próteses para implante, o dentista irá te explicar qual das opções é a melhor para o seu caso.

Tipos de implantes

Implante dentário unitário

É quando um implanteacomoda apenas uma prótese, é indicada para pacientes que tenham perdido poucos dentes. É possível colocar todos os dentes com esse método, mas demoraria mais.

Implante dentário com prótese overdenture

É uma prótese removível, onde o dentista coloca entre dois a seis pinos para a fixação de uma prótese grande, é como uma dentadura fixa que pode ser removida com o auxílio de botões de pressão, facilitando a higienização. É recomendada para pacientes que já usam dentadura.

Implante dentário com prótese protocolo

É muito parecido com o overdenture, porém tem mais estabilidade. Não é removível, então necessita de uma higienização especial e detalhada, existem alguns aparelho para auxiliar nessa limpeza.

Implante dois por três

Também conhecido como ponte, é uma prótese fixa, que é colocada em dois dentes saudáveis que estão ao lado do dente que está faltando. É recomendado para pessoas que perderam os dentes da frente, pois a prótese terá todos os dentes iguais. Esse implante deve ser bem ajustado, se não poderá se acumular alimentos em baixo da prótese, o que causa muitos problemas.

O que é prótese fixa? Quando a prótese fixa é indicada?

A prótese fica, ou ponte fixa, é uma opção se você não deseja ter próteses parciais, dentaduras e os implantes. Para colocar a prótese é preciso desgastar os dentes ao lado do dente perdido, para ser fixado neles.

Podem ser próteses para um ou mais dentes, e podem ser feitas de vários materiais, mas que deixam um aspecto natural aos dentes. 

Com a prótese fixa, não há necessidade de retirar a prótese para realizar a limpeza, a higienização acontece como a dos outros dentes, mas é importante fazer visitas ao dentista a cada 6 meses.

É possível comer normalmente com as próteses dentárias, mas é recomendado tomar um certo cuidado com alimentos duros.

A prótese fixa é indicada para pacientes que não podem realizar o implante dentário. O osso do dente perdido, com a prótese, não se desenvolve, e acaba abrindo um espaço entre a prótese e a gengiva, acumulando alimentos, provocando problemas como a cárie e a gengivite, e também causando problemas na fala. Quando há muitos dentes perdidos e poucos para fazer o suporte da prótese fixa, esse tratamento não é recomendado.

A melhor opção para esses casos é o implante dentário.

Implantes Dentários: O que é e quais suas vantagens?

Implante dentário é um procedimento cirúrgico onde o dentista insere uma estrutura de titânio, pois o titânio não provoca reações adversas, no osso abaixo da gengiva, seja ele maxilar ou mandibular. Essa estrutura serve como uma raiz artificial, é ali que o novo dente é rosqueado. 

O implante dentário é indicado para pessoas que perderam o dente ou precisam extraí-lo, uma vez que não pode ser restaurado.

Existem diversos tamanhos e variedades de implantes para melhor atender a necessidade de cada paciente

Vantagens

  • É um tratamento muito eficaz e, se bem cuidado, dura muito tempo. 
  • A higienização do dente implantado é fácil, só é preciso escovar e passar o fio dental. 
  • Os implantes são mais confortáveis e oferecem uma melhor aparência e segurança do que dentaduras convencionais, por exemplo. 

A cirurgia 

A cirurgia dura em média uma hora e meia, para um dente implantado, podendo demorar mais dependendo da quantidade de dentes. 

Se o paciente tiver pressão alta, diabetes ou alguma doença crônica que esteja controlada por medicação, a cirurgia pode ser realizada. 

O implante não é indicado para crianças, pois a estrutura óssea não está completamente desenvolvida, e para pessoas que usam de medicamentos da classe dos bifosfonatos.

Implante dentário: quais seus benefícios?

O implante
dentário é necessário quando a pessoa perde seu dente e sua raiz, é colocado um
cilindro de titânio dentro do osso, abaixo da gengiva, fazendo a função da raiz
do dente e em cima do implante é colocado o novo dente.

A cirurgia é
feita sob anestesia local para que seja feita a incisão na gengiva e a fixação
no osso não será sentida. Depois da cirurgia é indicado o uso de analgésico,
antibiótico, anti-inflamatório e repouso. A dor tem duração de 5 dias em média,
e uma boa indicação é ingerir alimentos frios para o alívio do desconforto.

%imagem-1%

Colocar um implante dentário tem como benefícios:

A melhora da auto estima e
comunicação:
com os
dentes faltando, a pessoa pode se sentir mal e envergonhada de sorrir e falar,
o que pode causar depressão. Também há a dificuldade na fala, o que pode
interferir no dia-a-dia da pessoa, atrapalhar suas relações interpessoais e até
em seu trabalho.

A melhora na saúde bucal: com seus implantes fica mais fácil
escovar os dentes e manter a boca sempre limpa.

Uma melhor digestão: a falta de um ou mais dentes
interfere na mastigação dos alimentos, fazendo com que os alimentos cheguem ao estômago
muito grande, o que pode prejudicar sua digestão.

O implante
dentário é contraindicado para pacientes que sofrem com diabetes não tratadas,
durante quimioterapia ou em casos cardíacos de alto risco.

Acabou de fazer um implante e está com o sorriso perfeito? Ótimo! mas tenha cuidado com a Peri-implantite!

A pior coisa que pode acontecer em nossa boca é a perda de um dente, certo? Além de prejudicar a estética do sorriso a perda de um dente pode ocasionar problemas na saúde bucal. Por isso a odontologia desenvolveu os implantes dentários, entretanto, se não colocados com atenção podem provocar problemas ainda maiores.

O que é a peri-implantite?

A peri-implantite é uma doença infecciosa na gengiva e nos ossos ao redor do(s)
implante(s) dentário(s) que causa dores e incômodos resultando em perda óssea,
que ocorre rapidamente, caso não diagnosticada precocemente o implante pode
cair.

Como saber se tenho peri-implantite?

Antes de fazer um implante o paciente deve estar com a saúde
bucal em dia, muitas vezes o procedimento de implantação do dente ocorre bem
porém com o passar do tempo a peri-implantite começa a aparecer. Seus principais
sintomas são:

  • Hemorragia durante a sondagem;
  • Vermelhidão na gengiva na área do implante;
  • Supuração;
  • Aumento da profundidade da gengiva;
  • Perda óssea;
  • Mobilidade do implante.

Porque essa doença surge?

Ela pode surgir por conta de um trauma oclusal do paciente,
contudo, o mais comum é que a peri-implantite surja pela falta de higiene
bucal, escovação incorreta que danifica os tecidos moles da gengiva ou escovação
ineficiente que deixa resíduos na boca aumentando a chance de crescimento das
bactérias.

Apesar de ser mais comum quando há presença dos implantes, a
peri-implantite também pode surgir em dentes naturais, apesar de ser raro pois
os dentes aderem à gengiva mais efetivamente que os implantes.

%imagem-1%

Devo fazer o tratamento ou remover o implante?

Tudo vai depender do seu diagnóstico e do seu dentista,
retirar o implante normalmente gera problemas tanto ao dentista quanto ao
paciente por ser um procedimento traumático, porém em alguns casos a remoção é
necessária. O tratamento, por outro lado pode acabar saindo mais caro do que o
próprio procedimento para colocar o implante.

Após a avaliação, o que determinará o que deve ser feito se dão com base em cinco fatores clínicos:

  1. Mobilidade: O implante osseointegrado não pode apresentar
    mobilidade, caso apresente deve ser extraído.
  2. Comprimento: Os implantes menores de 10 mm ou com defeitos
    ósseos que acometam 50% ou mais de seu comprimento devem ser retirados .
  3. Defeito de anatomia: Defeitos de uma a duas paredes são
    menos favoráveis a tratamento, entretanto este pode ser realizado caso o
    dentista recomende, defeitos com três paredes e quatro são mais favoráveis.
  4. Tipo de superfície: Os implantes que possuem superfície com
    hidroxiopatita e anodizada devem ser removidos pois por conta da
    peri-implantite acabam sendo dissolvidas ou completamente contaminadas.
  5. Muitos fatores: Quanto mais o implante apresente os fatores
    clínicos citados pior é o resultado de um possível tratamento, tornando a
    remoção do implante o melhor a se fazer.

Como fazer a prevenção?

A prevenção é muito fácil e depende totalmente de você! pois
a melhor prevenção é a higiene bucal. É muito importante manter a higiene bucal
e fazer uma revisão frequente no dentista a cada 6 meses para evitar vários problemas, não apenas a peri-implantite.

Implante dentário e outras tecnologias ao alcance de todos para uma vida mais bonita e saudável!

implante dentário é um pino de titânio que substitui a raiz de um dente perdido. O implante serve de apoio para a prótese que deve ser semelhante aos dentes naturais em estética e função. O implante dental pode ser indicado para repor a perda de todos os dentes, de alguns ou de apenas um dente. 

Implante ósseo integrado

%imagem-1%

Instalados no osso maxilar cirurgicamente, necessitam de um tempo de ósseo integração que é cerca de 3 a 4 meses na mandíbula e de 4 a 6 na maxila. Passado esse tempo é feita uma pequena cirurgia onde é removido o parafuso de cobertura (protege a rosca interna do implante) e instalado o cicatrizador (faz a ligação do implante com o meio bucal). Passamos então para a fase protética do implante onde será realizada uma moldagem para confecção e instalação de um ou vários dentes artificiais.

É uma preparação de base para receber o implante.

Prótese Fixa

%imagem-2%

Também conhecida por Protocolo Branemark, a prótese tipo protocolo sobre implantes é uma prótese total fixada sobre 4 a 8 implantes dentários que não é removida pelo paciente. Recuperando estética e função maravilhosamente bem, sendo uma excelente escolha para os pacientes que desejam se livrar das dentaduras. Esse tipo de prótese pode ser confeccionada em acrílico ou porcelana e o paciente tem seu poder de mastigação recuperado em 85%, muito superior aos 20% com as dentaduras tradicionais.

Mini Implantes dentários

%imagem-3%

Os mini implantes dentários tratam-se de implantes dentários que tem a função de segurar ou melhor fixar as overdentures ou sobredentaduras. Neste rápido procedimento, parafusos de titânio de pequeno diâmetro e com esfera retentora na ponta são colocados na mandíbula, geralmente com anestesia local e que permite a colocação em funcionamento de sua própria dentadura no mesmo ato da colocação dos implantes. Os desconfortos após a colocação geralmente são pequenos e qualquer dor é aliviada com analgésicos. O mini implante dentário surgiu como uma alternativa atraente de substituir os implantes tradicionais em casos de pacientes que não podem suportar o procedimento cirúrgico.

Quem não pode colocar implante?

Para todo tipo de procedimento odontológico existem restrições. Ter uma boa saúde geral é o que mais conta no momento de colocar essa prótese. Lista-se alguns problemas capazes de impedir a terapia.

  • Pessoas diabéticas não tratadas;
  • Hipertensos não compensados;
  • Pacientes com problemas cardíacos que não seguem o tratamento;
  • Pessoas que usam medicamentos que afetam a cicatrização óssea;
  • Pacientes que fazem radioterapia;
  • Gente com pouca espessura óssea na área da colocação dos implantes;

Enfim, a tecnologia privilegia com excelência a odontologia e implantes são cada vez mais utilizados, contemplando com magnitude os objetivos de todos que destas tecnologias podem utilizar.

Você sabe o que é implante dentário, mas sabe o que é mini implante dentário?

A odontologia moderna busca cada vez mais procedimentos que sejam rápidos e eficazes pois os pacientes não toleram mais tempos longos em seus tratamentos, daí na área de implante surgiu o mini implante dentário.

Um tratamento que seja mais rápido e menos incômodo é o sonho de qualquer pessoa que precise passar por um tratamento ortodôntico. Se, além disso, o tratamento apresentar uma maior eficiência, melhor ainda. É justamente em busca disso que a Ortodontia tem evoluído, sempre atrás de melhores resultados para seus tratamentos.

Uma das novas tendências da Ortodontia é a utilização de dispositivos transitórios de ancoragem na correção de problemas ortodônticos. Entre esses dispositivos estão os mini-implantes, que são utilizados para fazer a movimentação dentária de modo seletivo, aplicando forças contínuas com mais eficiência e diminuindo o tempo de tratamento.

%imagem-1%

O mini implante

O mini-implante é um micro parafuso feito de titânio, geralmente de 1,2 a 2 mm de espessura, sendo instalado entre os ossos, na mandíbula ou na maxila. A diferença do mini-implante para os outros implantes dentários funciona da seguinte forma, a mini-prótese tem a função apenas como um acessório auxiliar para o tratamento ortodôntico, enquanto que os outros a finalidade é uma substituição dentária. 

Implantação

Os mini-implantes são colocados com a ajuda de chaves manuais curtas ou longas ou, em alguns casos, chaves mecânicas acopladas a um motor cirúrgico. As chaves mecânicas são mais utilizadas na colocação de implantes em locais de difícil acesso para as chaves manuais, como o palato e a região retro molar. As chaves manuais são mais indicadas porque permitem uma melhor percepção da densidade óssea e da resistência à implantação, que ajudam no diagnóstico da estabilidade primária.

Os dispositivos transitórios de ancoragem podem ser colocados por um ortodontista ou por um implantodontista, sendo muito importante a comunicação entre os dois para que a implantação seja no local correto. Normalmente eles são posicionados entre as raízes, já que as regiões apicais são as que apresentam maior espaço para a implantação. O espaço deverá corresponder a, no mínimo, o diâmetro do implante mais 1,5 mm – 0,25 mm para cada raiz e 1 mm de margem de segurança. Caso a área escolhida não apresente o espaço mínimo exigido, é necessário optar por um outro local, mudar a angulação do implante, ou, ainda, aumentar esse espaço através do afastamento das raízes.

%imagem-2%

O sucesso da ancoragem dependerá da estabilidade primária do mini-implante. Essa estabilidade pode ser avaliada logo no momento da implantação, através do controle das forças aplicada à chave digital: quanto maior a resistência do local à implantação, maior será a estabilidade inicial no dispositivo transitório de ancoragem. Para se avaliar a estabilidade após a fixação, pode-se pressionar a cabeça do implante em diferentes sentidos. Em caso de baixa estabilidade, haverá isquemia na região ao redor do implante, o que mostra que é preciso escolher um outro local para a implantação ou colocar um implante de maior diâmetro.

Para adquirir uma melhor estabilidade primária, recomenda-se que o diâmetro do mini-implante seja 0,2 ou 0,3 mm superior ao da fresa utilizada na osteotomia. Em casos de áreas de baixa densidade, esse diâmetro deve ser superior em 0,4 ou 0,6 mm. A cirurgia costuma ser simples e não leva mais de meia hora.

Na hora de retirar os mini-implantes, o procedimento é basicamente o mesmo. Com a ajuda de uma chave manual ou mecânica, retira-se o dispositivo transitório de ancoragem realizando o movimento oposto ao da implantação. Não é necessário nenhum procedimento de sutura ou curativo, já que a cicatrização do local é completa em um curto espaço de tempo.

Soluções cada vez mais criativas e funcionais se apresentam na odontologia moderna. Como vemos o mini implante dentário é mais um procedimento e solução para problemas bucais da nova odontologia para solucionar velhos problemas. Consulte o seu dentista periodicamente.

Veja como funcionam os transplantes dentários e qual seria o seu caso

De todos os tipos de transplantes de tecidos e órgãos, o dos dentes é sem dúvida o mais antigo. A história da cirurgia registra casos de transplantes dentários praticados pelos antigos egípcios, etruscos, gregos e romanos, no entanto com as novas tecnologias há várias opções e diferenças para casos específicos.

Quais os tipos de transplantes dentários?

Existem diferentes tipos de intervenções pelas quais são realizados os transplantes dentários. A finalidade dos transplantes consiste na reposição de um dente num alvéolo (pequena cavidade do osso maxilar na qual se inserem os dentes) já existente ou constituído propositalmente.

O reimplante consiste na reposição de um dente em seu próprio alvéolo. O transplante, na reposição de um dente proveniente de outro lugar, abrange: autotransplante (quando o dente é do próprio paciente), homotransplante (se provém de indivíduo da mesma espécie) e heterotransplante (quando originário de indivíduo de espécie diferente – dente de macaco transplantado em homem, por exemplo).

Denomina-se reposição cirúrgica o transplante de dentes dispostos de maneira errada, ou de dentes que ficaram retidos no osso maxilar (tecnicamente denominados dentes inclusos).

Reimplante dentário

Quando um dente é extraído, interrompe-se a ligação vascular e nervosa que o liga ao organismo. Uma vez tirado, o dente já não recebe mais irrigação sanguínea e fica privado das ligações nervosas com o resto do organismo.

Quando o dente vai ser reimplantado, portanto, é preciso retirar-se completamente a polpa dentária na qual se encontra o nervo, além de se providenciar a obturação dos canais. Dessa maneira, reimplanta-se um elemento sem nervo, mas que pode novamente soldar-se em seu alvéolo – desde que a intervenção seja executada com escrupulosa assepsia.

A condição fundamental para que se dê a ligação do dente com o alvéolo é a imobilização do elemento reimplantado. Deverá ser mantido nessa posição pelo menos durante quatro semanas, preso com fio de seda ou fio metálico, ou ainda por uma haste, metálica ou de resina acrílica.

Mudança de Posição do Dente

Os dentes molares, sobretudo os primeiros molares inferiores, são os mais atingidos pelas cáries. Se o processo já tiver causado a penetração profunda de agentes infecciosos, será preciso extrair o dente.

Tratando-se de pacientes jovens, dos dezoito aos vinte anos, pode ser encontrado o germe do terceiro molar ou dente do siso. Este ainda está com apenas um terço de sua raiz formada. Se não for feita uma prótese para substituir o elemento que falta, quando o dente do siso irromper ocorrerá um deslocamento para a frente, o segundo molar vai sendo forçado a ocupar o espaço vazio do dente extraído.

Esse método não requer a extração da polpa e do nervo do dente a ser transplantado, pois suas raízes ainda não estão de todo formadas e seus ápices (pontas das raízes) encontram-se abertos.

Dentadura Não-Postiça

Até pouco tempo atrás os métodos de que dispunham para melhorar o aspecto estético de seus dentes eram meramente corretivos. As soluções existentes eram dentifrícios especiais (no caso de dentes amarelos), restaurações, pivôs (dentes postiços) para reparar e substituir dentes quebrados, e aparelhos ortodônticos para os dentes mal alinhados.

Atualmente existe uma solução para boa parte desses casos. É a reposição cirúrgica, que consiste no transplante de dentes inclusos (que tenham ficado retidos no osso maxilar) ou de dentes nascidos em má posição.

Quando um dente fica retido, sobretudo quando se tratar de canino, é muito comum que não se dê a absorção da raiz do dente de leite correspondente. Observa-se, nesses pacientes, a presença de caninos de leite, além dos caninos permanentes inclusos no osso. O processo de reposição cirúrgica é o seguinte: extrai-se o dente incluso, remove-se a polpa e obtura-se o canal, em seguida, extrai-se o canino de leite e em seu lugar coloca-se o canino incluso retirado do osso.

Da mesma maneira, no caso de um dente irrompido em má posição ou sem alinhamento, pode-se, através da reposição cirúrgica, colocá-lo no lugar correto.

Como se sabe, hoje temos variantes para soluções dentárias, cada vez mais se tem opção para um dentição saudável, basta consultar periodicamente o dentista

Agora com Implante de carga imediata (protocolo) você sai de imediato com uma nova dentição pronto para mastigar e sorrir

Implante de carga imediata (protocolo)

A medicina odontológica está cada vez mais avançada em seus procedimentos. Dentadura móvel ou chapa agora é coisa da vovó ou do vovô. Com o implante de carga imediata ou protocolo de carga imediata que é uma prótese fixa em tempo curto reabilitando a arcada dentária oferecendo de imediato uma facilidade de mastigação e beleza estética.

O que é o Protocolo?

Sem Enxertos coloca-se especialmente 4 implantes (Técnica ALL ON 4), onde no mesmo dia fazemos uma prótese fixada sobre implantes que chamamos de Prótese Imediata. A principal característica do sistema ALL ON 4 é a simplicidade.


Em quanto tempo este procedimento leva para ser implantado?

Para pacientes desdentados totais, que usam dentaduras, as quais trazem limitações estéticas e funcionais, ou com condições bucais desfavoráveis, como falta de muitos dentes, dentes amolecidos e desarmonia dental, o Protocolo sobre Implantes é uma solução excelente, rápida e estética. Em apenas 24 horas o paciente realiza os implantes e instala a prótese fixa em substituição a prótese total (dentadura) ou parcial, tendo a sua mastigação, estética e autoestima restabelecidas.

De forma rápida, segura e eficiente, na primeira sessão é realizada a instalação dos implantes, adaptação e ajustes da prótese fixa. Após 24 horas é realizada a colocação da prótese totalmente perfeita.

Como é feito esse procedimento?

Apenas algumas consultas pré-operatórias, são instalados 4 ou 6 implantes, e no mesmo dia é instalada uma prótese fixa.Sobre os implantes é realizada uma prótese totalmente em acrílico parafusada, para fazer uma prótese fixa de todos os dentes com carga imediata. O uso de Carga Imediata sobre rebordos sem dentes vem sendo utilizado com sucesso atualmente.

Vantagens da carga imediata

•    Adquire a possibilidade de usufruir de um dente fixo no mesmo dia.

•    Tempo cirúrgico único; significa que vai menos vezes ao dentista.

•    A sua aparência estética é instantaneamente melhorada.

•    O contorno da prótese (coroa) é mais natural.

•    Aplicam-se de imediato as próteses fixas de transição.

•    A pessoa recupera de imediato a função da mastigação.

•    As sensações de auto estima e bem estar ficam aprimoradas.

Posso sair do consultório mastigando?

Sim. Porém recomendamos uma alimentação leve por pelo menos 30 dias.  A situação oral estará modificada e isso requer adaptação do paciente.

O paciente que tem pouco osso pode fazer este procedimento?

Na maioria dos casos, sim. A falta de osso tem cada vez mais alternativas viáveis. Existem opções de enxertos e outras técnicas alternativas para tornar este procedimento possível.

Qualquer paciente pode fazer este tipo de procedimento?

Sim, qualquer paciente, desde que cumpra os requisitos clínicos e radiográficos e com saúde controlada. A cirurgia de instalação de implantes é feita sob exames prévios, após avaliação do dentista e equipe. Com uso correto de medicações e anestesia local, reduzimos os riscos e a tornamos segura.

O implante de carga rápida ou protocolo é a solução definitiva para acabar com as próteses móveis dando mais conforto, funcionalidade e beleza estética ao paciente dando fim ao desconforto e a insegurança que as tradicionais dentaduras oferecem. É rápido e garantido.