O Guia Prime da Escova de Dentes

Não é segredo para ninguém que a escova de dentes é a melhor amiga da saúde bucal, faz parte da rotina de todas as pessoas desde a infância. Mas você sabe tudo sobre ela? Fique tranquilo! A Prime preparou um guia completo contando desde a origem, dicas, até qual a escova mais adequada para realizar a higienização. 

História da Escova de Dentes

A escova de dentes conhecida hoje foi criada em 1939, entretanto, os modelos atuais já eram utilizados há cerca de 3.000 anos a.C. Historiadores afirmam que algumas civilizações antigas já utilizavam finos “galhos de mastigação” após as refeições, esfregando lentamente as pequenas madeiras nos dentes para limpá-los. 

Em 1498, na China, foram criadas as escovas com cerdas, semelhantes às que possuímos hoje. As cerdas eram bem rígidas, feitas de pelos grossos que eram extraídos de um tipo de porco chinês, e fixadas em uma estrutura pequena, constituída basicamente de bambu ou ossos. 

As cerdas de javali foram utilizadas em muitos países até 1938, quando a empresa DuPont introduziu os famosos fios de nylon no mercado. Porém, só ficaram realmente conhecidas após a Segunda Guerra Mundial, quando soldados entraram em contato com os diferentes modelos, e fizeram da higiene bucal um hábito, espalhando pelo mundo. Aula de história concluída!

Escovas da Atualidade

Atualmente, existem tantos tipos de escovas, que é impossível não ficar em dúvida sobre qual modelo comprar. Cada uma delas possui vantagens e especificações, por isso é válido consultar um odontologista antes de escolher entre uma escova de dentes manual ou elétrica. 

Além disso, pessoas que usam aparelhos ortodônticos também devem usar escovas especiais, com um formato diferenciado que permite uma melhor limpeza nos dentes e no aparelho, enquanto a escova interdental auxilia na higiene bucal ao escovar as partes estreitas da arcada dentária. 

Qual a cerda mais adequada?

Muitos pacientes acreditam que uma boa higiene bucal depende da força aplicada durante a escovação, preferindo escovas com cerdas duras para garantir maior eficiência na higiene. Mas isso não é o ideal! Esses tipos de cerdas rígidas podem machucar a gengiva e danificar o esmalte dentário, trazendo problemas como a sensibilidade. Por isso, as cerdas macias e extra-macias são as mais indicadas pelos dentistas, por serem precisas ao limpar os dentes e remover a placa bacteriana, sem machucar a gengiva. 

Como higienizar a escova de dentes?

Para evitar a contaminação por fungos e bactérias, seguem dicas de como desinfetar a escova:

  • Lave na água corrente após escovar os dentes; 
  • Tire o excesso de água com leves batidas; 
  • Aplique uma pequena quantidade de enxaguante ou antisséptico bucal; 
  • Lave bem para retirar os resíduos do enxaguante bucal;
  • Deixe a escova secar no ar. 

Outra dica importante é não deixar a escova exposta no banheiro! O ambiente úmido e o acionamento constante da descarga podem contribuir para o acúmulo de bactérias, vírus, coliformes fecais e outros microorganismos nas cerdas. Além disso, lembre-se de deixá-la em posição vertical, e guardada dentro de um armário bem arejado. 

Quando é a hora de trocar de escova?

O uso contínuo da escova torna as cerdas gastas e desorganizadas, diminuindo a eficiência da escovação, o que afeta a saúde bucal e dificulta o processo de limpeza da escova.

Para evitar o aparecimento de doenças como cárie ou endocardite bacteriana, é importante trocar a escova de dentes com frequência. O tempo ideal para a troca é de três em três meses

 

Agora que você já sabe tudo sobre a amiga da higiene bucal, coloque essas dicas em prática e não esqueça de visitar o dentista regularmente para saber se a saúde bucal está em dia. Cuidados indispensáveis para ter um sorriso Prime!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

5 × quatro =