Implante Dentário

O que é? e o que é necessário?

A implantodontia é um ramo da odontologia que tem como objetivo anexar implantes onde há a falta de dentes, proporcionando um sorriso mais bonito e até mesmo a melhora da autoestima. Os implantes são pinos de titânio fixados nos ossos maxilares ou mandibulares, oferecendo suporte à coroa artificial, fazendo a função da raiz do dente.

O procedimento é feito com o uso de anestesia local e é um procedimento consideravelmente rápido e indolor.

Para que o pino atue como a raiz dentária é preciso que este seja incorporado pelo tecido ósseo, e para que isso ocorra é necessário ter qualidade e quantidade de tecido ósseo suficiente para realizar o implante. Caso o paciente não possua essas características se torna necessário a realização do enxerto de osso.

E o que é o Enxerto Ósseo?

É um procedimento que visa o aumento da altura ou/e espessura do osso no local onde será colocado o implante. Existem alguns tipos de enxertos, entre eles:

Enxerto Autógeno, onde o tecido ósseo é retirado do próprio paciente, normalmente algumas regiões da mandíbula podem fornecer este tecido ósseo que é extraído por meio de cirurgia.

Enxerto Alógeno, onde a matriz óssea tem origem animal e pode ser usada misturada ao tecido ósseo autógeno coletado ou até mesmo isoladamente. Esse tipo de enxerto promove uma integração e substituição por um osso novo que permite a reabilitação com implantes.

Para casos de enxerto Alógeno a Prime Sorriso utiliza a marca Geistlich Bio-Oss, que é o substituto ósseo líder usado em odontologia no mundo inteiro, conduzindo uma regeneração óssea eficiente, previsível e conserva o volume do osso a longo prazo.

A vantagem de se ter um enxerto alógeno é que não é necessário submeter o paciente a mais um processo cirúrgico, em contraposto, a vantagem do enxerto autógeno é que este é o melhor material para recomposição de perdas ósseas, apesar da grande eficiência da Bio-Oss.


Tipos de Implantes

Utilizamos dois tipos de conexões (implantes), o Hexágono Externo e o Cone Morse, os dois com excelentes levantamentos, porém, por qual optar?

  • Hexágono Externo

O Hexágono Externo tem um maior número de possibilidades, com 12 opções de encaixe do componente protético sobre o implante, o que facilita em casos onde são unidos múltiplos dentes a serem instalados, tornando-se o mais usado para este caso em todo mundo. Este deve ter suas plataformas em posição supra óssea pois precisa estar livre para receber o componente protético.

  • Cone Morse

Este, faz uma ótima vedação no tráfego bacteriano permitindo melhor saúde periodontal e deve ser colocado em nível intraósseo. Neste tipo de conexão há redução nos pontos de tensão e uma maior capacidade de suportar forças horizontais, além de sua facilidade de encaixe e alta resistência mecânica.

Por qual optar?

Concluindo, o Hexágono Externo é indicado para casos onde há a implantação de múltiplos dentes, enquanto o Cone Morse é indicado principalmente em áreas estéticas e promove um selamento biológico mais interessante, aparecendo muito em casos de implantes imediatos.


Tipos de Pinos

Pino de fibra de vidro

Os pinos à base de fibra de vidro possuem inúmeras vantagens, que são garantidas a você, paciente da clínica, citaremos algumas:

• A estrutura de seu núcleo, que possui fibras longitudinais ao seu eixo, permite todas as reintervenções precisas sem a menor dificuldade;

• Suas fibras encontram-se dentro de uma matriz resinosas dispostas separadamente, o que garante a sua alta resistência à fratura em condições fisiológicas normais;

• A translucidez de pinos de fibra de vidro translúcidos pode trazer para a melhor qualidade estética da restauração;

• A resistência à fratura dos pinos em fibra é aumentada devido à disposição longitudinal das fibras;

• Possui resistência e longevidade à restauração dos dentes tratados endodonticamente;

• Os pinos em fibra quando submetidos a uma força são capazes de absorver o impacto sem levar esse stress para a estrutura dental.

• É anticorrosivo;

• Não fraturam as raízes pois antes disso ocorrer eles mesmos fraturam para a preservação do dente.

Pino de núcleo metálico

Os pinos metálicos fundidos são os mais tradicionalmente utilizados no processo de restauração de dentes tratados endodonticamente com ampla destruição coronal. Sua vantagem é que não há necessidade de preenchimento posterior, já que a porção coronal é confeccionada no laboratório em dimensões preestabelecidas. 

Entretanto, apresentam a desvantagem de sua cor ser prateada ou dourada, podendo prejudicar a estética. Outro fator é que o número de sessões necessárias para sua confecção é maior, quando comparado com o tempo utilizado com um pino de fibra de vidro.

Comparações e Indicações:

Existem algumas indicações habituais para o núcleo metálico fundido, como a mudança de ângulo raiz/coroa, como quando a coroa necessita se harmonizar posicionalmente com outros dentes, em canais excessivamente cônicos ou elípticos, onde os pinos de fibra de vidro não se adaptam às paredes e necessitariam de uma camada de cimento mais espessa e quando há dentes com destruição coronária total, onde remanesceu praticamente apenas a raiz.

Porém, se não estas indicações específicas não forem feitas, o pino de fibra de vidro proporciona mais vantagens ao paciente.

 

Implantes Dentários: O que é e quais suas vantagens?

Implante dentário é um procedimento cirúrgico onde o dentista insere uma estrutura de titânio, pois o titânio não provoca reações adversas, no osso abaixo da gengiva, seja ele maxilar ou mandibular. Essa estrutura serve como uma raiz artificial, é ali que o novo dente é rosqueado. 

O implante dentário é indicado para pessoas que perderam o dente ou precisam extraí-lo, uma vez que não pode ser restaurado.

Existem diversos tamanhos e variedades de implantes para melhor atender a necessidade de cada paciente

Vantagens

  • É um tratamento muito eficaz e, se bem cuidado, dura muito tempo. 
  • A higienização do dente implantado é fácil, só é preciso escovar e passar o fio dental. 
  • Os implantes são mais confortáveis e oferecem uma melhor aparência e segurança do que dentaduras convencionais, por exemplo. 

A cirurgia 

A cirurgia dura em média uma hora e meia, para um dente implantado, podendo demorar mais dependendo da quantidade de dentes. 

Se o paciente tiver pressão alta, diabetes ou alguma doença crônica que esteja controlada por medicação, a cirurgia pode ser realizada. 

O implante não é indicado para crianças, pois a estrutura óssea não está completamente desenvolvida, e para pessoas que usam de medicamentos da classe dos bifosfonatos.

Implante dentário: quais seus benefícios?

O implante
dentário é necessário quando a pessoa perde seu dente e sua raiz, é colocado um
cilindro de titânio dentro do osso, abaixo da gengiva, fazendo a função da raiz
do dente e em cima do implante é colocado o novo dente.

A cirurgia é
feita sob anestesia local para que seja feita a incisão na gengiva e a fixação
no osso não será sentida. Depois da cirurgia é indicado o uso de analgésico,
antibiótico, anti-inflamatório e repouso. A dor tem duração de 5 dias em média,
e uma boa indicação é ingerir alimentos frios para o alívio do desconforto.

%imagem-1%

Colocar um implante dentário tem como benefícios:

A melhora da auto estima e
comunicação:
com os
dentes faltando, a pessoa pode se sentir mal e envergonhada de sorrir e falar,
o que pode causar depressão. Também há a dificuldade na fala, o que pode
interferir no dia-a-dia da pessoa, atrapalhar suas relações interpessoais e até
em seu trabalho.

A melhora na saúde bucal: com seus implantes fica mais fácil
escovar os dentes e manter a boca sempre limpa.

Uma melhor digestão: a falta de um ou mais dentes
interfere na mastigação dos alimentos, fazendo com que os alimentos cheguem ao estômago
muito grande, o que pode prejudicar sua digestão.

O implante
dentário é contraindicado para pacientes que sofrem com diabetes não tratadas,
durante quimioterapia ou em casos cardíacos de alto risco.

Acabou de fazer um implante e está com o sorriso perfeito? Ótimo! mas tenha cuidado com a Peri-implantite!

A pior coisa que pode acontecer em nossa boca é a perda de um dente, certo? Além de prejudicar a estética do sorriso a perda de um dente pode ocasionar problemas na saúde bucal. Por isso a odontologia desenvolveu os implantes dentários, entretanto, se não colocados com atenção podem provocar problemas ainda maiores.

O que é a peri-implantite?

A peri-implantite é uma doença infecciosa na gengiva e nos ossos ao redor do(s)
implante(s) dentário(s) que causa dores e incômodos resultando em perda óssea,
que ocorre rapidamente, caso não diagnosticada precocemente o implante pode
cair.

Como saber se tenho peri-implantite?

Antes de fazer um implante o paciente deve estar com a saúde
bucal em dia, muitas vezes o procedimento de implantação do dente ocorre bem
porém com o passar do tempo a peri-implantite começa a aparecer. Seus principais
sintomas são:

  • Hemorragia durante a sondagem;
  • Vermelhidão na gengiva na área do implante;
  • Supuração;
  • Aumento da profundidade da gengiva;
  • Perda óssea;
  • Mobilidade do implante.

Porque essa doença surge?

Ela pode surgir por conta de um trauma oclusal do paciente,
contudo, o mais comum é que a peri-implantite surja pela falta de higiene
bucal, escovação incorreta que danifica os tecidos moles da gengiva ou escovação
ineficiente que deixa resíduos na boca aumentando a chance de crescimento das
bactérias.

Apesar de ser mais comum quando há presença dos implantes, a
peri-implantite também pode surgir em dentes naturais, apesar de ser raro pois
os dentes aderem à gengiva mais efetivamente que os implantes.

%imagem-1%

Devo fazer o tratamento ou remover o implante?

Tudo vai depender do seu diagnóstico e do seu dentista,
retirar o implante normalmente gera problemas tanto ao dentista quanto ao
paciente por ser um procedimento traumático, porém em alguns casos a remoção é
necessária. O tratamento, por outro lado pode acabar saindo mais caro do que o
próprio procedimento para colocar o implante.

Após a avaliação, o que determinará o que deve ser feito se dão com base em cinco fatores clínicos:

  1. Mobilidade: O implante osseointegrado não pode apresentar
    mobilidade, caso apresente deve ser extraído.
  2. Comprimento: Os implantes menores de 10 mm ou com defeitos
    ósseos que acometam 50% ou mais de seu comprimento devem ser retirados .
  3. Defeito de anatomia: Defeitos de uma a duas paredes são
    menos favoráveis a tratamento, entretanto este pode ser realizado caso o
    dentista recomende, defeitos com três paredes e quatro são mais favoráveis.
  4. Tipo de superfície: Os implantes que possuem superfície com
    hidroxiopatita e anodizada devem ser removidos pois por conta da
    peri-implantite acabam sendo dissolvidas ou completamente contaminadas.
  5. Muitos fatores: Quanto mais o implante apresente os fatores
    clínicos citados pior é o resultado de um possível tratamento, tornando a
    remoção do implante o melhor a se fazer.

Como fazer a prevenção?

A prevenção é muito fácil e depende totalmente de você! pois
a melhor prevenção é a higiene bucal. É muito importante manter a higiene bucal
e fazer uma revisão frequente no dentista a cada 6 meses para evitar vários problemas, não apenas a peri-implantite.

Implante Zigomático, uma nova alternativa aos implantes!

O que é um implante zigomático?

É um implante dentário, uma tecnologia alternativa com sucesso absoluto onde não há a necessidade de enxerto ósseo, indicada principalmente aos pacientes que não querem ser submetidos a enxertos ósseos ou que tiveram reabsorções ósseas. São implantes de titânio fixados no osso zigomático por um acesso intra bucal, e têm como função servir de ancoragem para as próteses dentárias

Esse é um tipo de implante não muito comum e é indicado para pacientes com maxila atrófica, ou seja, usuários que possuem dentadura superior, onde serão feitos os implantes e dentes fixos num prazo de até 72 horas. Através dessa técnica, sem enxerto ósseo, é possível realizar implantes proporcionando maior conforto ao paciente. O osso zigomático localiza-se acima do maxilar, popularmente conhecida como maçã do rosto, por este motivo a técnica recebe esse nome.

Em alguns casos não há osso suficiente no maxilar, o implante é então instalado desde a região dos dentes até a região do osso zigomático, pois lá é uma região que apresenta quantidade e qualidade adequadas para a colocação e sustentação de implantes que podem apoiar uma prótese fixa. A intervenção é simples, ocorrendo sob anestesia local ou geral. Assim que o paciente se recupera da anestesia ele pode ir para casa, pois as próteses são colocadas imediatamente. 

Quais são as principais vantagens?

Este procedimento é realizado em apenas um tempo cirúrgico, com exceção dos casos em que se faz necessário o enxerto ósseo, é preciso dois tempos, porém esta necessidade é detectada com toda antecedência pelo profissional responsável e o paciente estará preparado.

O tratamento é realizado em poucos dias, cerca de 3 a 4, e o período de recuperação é bem menor que nos demais implantes, cerca de uma semana, dependendo do caso.

Além de todos esses benefícios relacionados a saúde, o implante zigomático também devolve ao paciente o suporte labial, mantendo a estética facial, os lábios simétricos e ainda, traz de volta a sua vontade de sorrir.

Os resultados obtidos são surpreendentes. A eficácia e os benefícios estéticos proporcionados têm deixado os pacientes muito satisfeitos, recuperando a saúde bucal, a eficiência da mastigação e a sensação dos gosto dos alimentos, além de melhorar a qualidade de vida e elevar a autoestima.

Como é feita a cirurgia?

%imagem-1%

Pinos de titânio são fixados no osso zigomático, que é um osso extremamente duro, principalmente se comparados com os ossos da maxila ou ossos enxertados, a estes pinos são associados a duas ou até quatro próteses dentárias.

A técnica a ser desenvolvida pode seguir duas linhas: a carga imediata e a carga tardia. Na primeira o paciente recebe o implante e a prótese fixa em poucos dias. Na segunda o paciente deve aguardar aproximadamente quatro meses para colocar a prótese fixa, permanecendo nesse período com uma prótese provisória. A linha a ser seguida dependerá da avaliação do implantodontista que deve observar a qualidade óssea do paciente, sendo que na maior parte das vezes é executada a carga imediata.

A sedação é simples, feita em uma única sessão, mas deve ser supervisionada por um anestesiologista. Durante a cirurgia o paciente permanece desacordado até o final do procedimento. Lembrando que a cirurgia é extremamente segura, mas precisa ser feita em ambiente hospitalar e o paciente recebe alta no mesmo dia.

Com o método da sedação o paciente fica mais confortável, o que melhora a qualidade do tratamento, garante a segurança do paciente e acelera a conclusão do procedimento, além de ser indolor e rápido.

IMPLANTE DENTÁRIO: a solução final para o problema da falta de dentes!

O que são implantes dentários?

Implantes dentários são suportes ou estruturas de metal (normalmente de titânio) posicionadas cirurgicamente no osso maxilar abaixo da gengiva para substituir as raízes dentárias. Uma vez colocados, permitem ao dentista montar dentes substitutos sobre eles.

Implantes dentários, como funcionam?

Por serem integrados ao osso, os implantes oferecem um suporte estável para os dentes artificiais. Próteses parciais e totais montadas sobre implantes não escorregarão nem mudarão de posição na boca, um grande benefício durante a alimentação e fala. Esta modalidade de prótese é chamada “prótese sobre implante” e confere ao paciente mais segurança em todas as funções bucais proporcionando uma situação mais natural do que pontes ou dentaduras convencionais.

Para algumas pessoas, as próteses e dentaduras comuns são simplesmente desconfortáveis ou até inviáveis, devido a pontos doloridos ou falta de adaptação a estes aparelhos. Além disso, as pontes comuns devem ser ligadas aos dentes em ambos os lados do espaço deixado pelo dente ausente. Com a colocação de implantes não é necessário preparar ou desgastar um dente natural para apoiar os novos dentes substitutos no lugar como é feito em pontes fixas convencionais.

Para receber um implante, é preciso que você tenha gengivas saudáveis e ossos adequados para sustentá-lo. Você também deve comprometer-se a manter estas estruturas saudáveis. Uma higiene bucal meticulosa e visitas regulares ao dentista são essenciais para o sucesso a longo prazo de seus implantes.

Qual é o material utilizado nos implantes dentários?

Os implantes são confeccionados em titânio, metal que apresenta alta resistência mecânica, baixa densidade (leveza) e biocompatibilidade (aceitação pelo organismo). Com esse material o índice de rejeição é quase nulo, salvo casos em que alguns pacientes podem apresentar alergia às peças, neste caso, implantes cerâmicos podem ser utilizados.

Quais as indicações e contraindicações dos implantes dentários?

Os implantes dentários são indicados para substituir um ou mais dentes perdidos através da reabilitação com próteses parafusadas ou cimentadas sobre os implantes. Não existe contraindicação absoluta para o tratamento com implantes dentários, porém, existem alguns fatores de risco que podem diminuir os índices de sucesso com a referida terapia, tais como: tabagismo, diabetes e doença periodontal (gengival).

Tipos de implantes ósseo integrados:

Os Implantes ósseo integrado são implantados por meio cirúrgico diretamente no osso maxilar. O período da osseointegração (integração ao osso) leva em média 4 a 6 meses dependendo da região a receber o implante. Após este período, uma segunda cirurgia é necessária para ligar o implante ao meio bucal, nesta fase o cirurgião dentista remove a gengiva que está recobrindo o implante e finalmente, um dente artificial (ou dentes) é conectado ao implante, individualmente, ou agrupado em uma prótese que pode ser de dois tipos:

•    Prótese Protocolo: Prótese total implanto suportada e implanto retida, fixada sobre 4 a 8 implantes em média, este tipo de prótese é parafusada e retirada apenas pelo seu dentista, é uma prótese que confere boa estética e é uma ótima opção para quem pretende fugir da dentadura, o único inconveniente é que este tipo de prótese é mais difícil de ser higienizada pois todos os dentes são conectados entre si, exigindo bastante cuidado do paciente. Pode ser feita em resina ou porcelana.

•    Prótese Overdenture: Prótese total removível sobre implante, este tipo de prótese é mais barata que a prótese protocolo porque exige menos implantes (2 a 6 em média) e é confeccionada em resina. Esta prótese é como uma dentadura, porém, tem um encaixe em uma barra que conecta os implantes à prótese, conferindo a esta mais estabilidade e retenção. Esta prótese pode ser retirada pelo paciente e por isto a sua higienização é facilitada.

Independente da técnica utilizada e não sendo um dente natural que não está sujeito a doenças bucais, ir ao dentista periodicamente continua sendo essencial para uma boa manutenção da(s) prótese(s).