Implantes Zigomáticos e Pterigóides - Implantes Dentários


Compartilhe este conteúdo com seus amigos

Implantes Zigomáticos e Pterigóides

Sobre implantes dentários 

O implante dentário é uma técnica que consiste na colocação de um pino de titânio nos ossos maxilares (abaixo das gengivas). Esse pino fará a função de segurar dente, como a raiz. Este processo requer, além de técnicas específicas, aprimoramento constante dos profissionais nas práticas para esses procedimentos.

 

Para atuar com sucesso na área de implantodontia, é necessário um conhecimento específico da anatomia dos ossos maxilares, pois é uma das regiões mais difíceis de tratamento devido à proximidade das cavidades nasais e seios maxilares.

 

Os tipos de implantes que falaremos agora, são indicados para pessoas que tem uma baixa quantidade e qualidade óssea na região da maxila. São alternativas seguras e viáveis para a reabilitação orofacial, sem a utilização de enxertos ósseos.

Implantes Zigomáticos

Os implantes zigomáticos permitem compensar a angulação entre o osso zigomático e a maxila. Os pinos de titânio são fixados no osso zigomático (conhecido como maçãs do rosto). Indicado para pacientes que não tem mais osso na maxila e que não querem fazer enxertos .

Implantes Pterigóides

Os implantes pterigóides são indicados para pessoas  que tiveram a perda de um ou mais dentes e devido à falta de reabilitação em tempo, houve muita perda óssea na região do maxilar ao longo dos anos. Os pinos de titânio são fixados na região posterior da maxila e são maiores dos que os pinos usados em outros tipos de implantes e só podem ser feitos no maxilar superior.

O objetivo do deste tipo de implante é reabilitar pacientes com perdas ósseas devido à traumatismos, tumores ou mesmo defeitos congênitos.


Este tipo de implante só pode ser feito na parte superior da boca e é realizado com anestesia geral, podendo o paciente ser liberado após 3 a 4 horas após o efeito da sedação.

Vantagens destas técnicas:

  • O tempo de cirurgia é significativamente reduzido

  • As taxas de sucesso com implantes zigomáticos e pterigóides são superiores quando comparados  às técnicas de enxerto ósseo. 

  • Os gastos monetários são significativamente menores

  • A necessidade de internação hospitalar é mínima.


Enfim, os implantes zigomáticos e pterigóides são amplamente recomendados para pacientes que tiveram perda óssea considerável, pois são a melhor alternativa para a reabilitação orofacial.


Em breve falaremos mais detalhadamente sobre esses e outros tipos de implantes dentários. 


Até breve!